Com o intuito de difundir os trabalhos produzidos pelo nosso grupo, iniciamos a Divulgação de Teses e Dissertações, que conta com um breve resumo dos trabalhos de pós-graduação feitos pelos integrantes do CEDOCH - DL - USP.

 

  Doutora em Linguística, Stela defendeu sua tese em 2019, sob a orientação da Prof.ª Dr.ª Olga Coelho:

"A língua espanhola no Brasil: História de sua presença em materiais linguísticos produzidos entre 1919 e 1961".

    Minha tese examina a emergência dos estudos de língua espanhola no Brasil a partir de documentos oficiais e por meio do cotejo entre obras escolares e filológicas, publicadas entre 1919 e 1961. O trabalho revela, em outros aspectos, uma predileção por dados linguísticos da Espanha nas obras das suas esferas; uma abordagem sincrônica do espanhol, focada nos níveis morfossintáticos, nos materiais escolares; e uma abordagem diacrônica do espanhol, voltada aos níveis fonético e lexical, nas obras filológicas. A tese também pretende reivindicar atenção para o estudo da língua espanhola no Brasil de hoje.

 

Confira no Site do Catálogo USP Teses e Dissertações, a tese de Stela Maris Detregiacchi Gabriel Danna, de livre acesso.

 


 

   Mestre em Linguística, sob orientação da Prof.ª Dr.ª Olga Coelho, no ano de 2015 defendeu sua dissertação intitulada:

 "Línguas africanas e português brasileiro: análise historiográfica de fontes e métodos de estudo no Brasil (séc. XIX-XXI)".

Renato Mendonça. A influência africana no português do

    Muitos estudiosos se dedicaram a estudar o impacto das línguas africanas no Português Brasileiro ao longo da história dos estudos linguísticos. No entanto, por conta da escassez de fontes documentais, não há consenso entre os pesquisadores sobre este debate. 

    Minha dissertação buscou mapear e analisar a produção brasileira que se dedicou a estudar as relações entre as línguas africanas e o PB, entre o século XIX e o XXI, e também propor uma possível periodização para a história dessa produção, a partir da análise da metodologia e das fontes empregadas em uma seleção de textos considerados representativos dessa tradição de pesquisa. 

 

Confira no Site do Catálogo USP Teses e Dissertações, a tese de Patricia de Souza Borges, de livre acesso.

 


 

     Doutora em Linguística, Bruna foi orientanda da Prof.ª Dr.ª Olga Coelho e defendeu em 2017 seu trabalho intitulado:

"Uma história serial e conceitual da gramática brasileira oitocentista de língua portuguesa".

Fonte: Compendio da Grammatica Portugueza, de Padre Antonio da Costa Duarte, publicado no Maranhão em 1829, página 35.

     Minha tese teve dois objetivos principais: realizar um mapeamento da produção gramatical brasileira oitocentista, o qual contou com quase 200 obras, dados inéditos e com a metodologia da história serial; e compreender o tratamento da linguagem realizado em dezoito obras selecionadas, a partir da observação de uma rede conceitual hipotética, na qual o conceito 'verbo substantivo' seria considerado base para a formação de outros conceitos gramaticais, os quais seriam modificados ou cairiam junto com ele no final do século.

 

Confira no Site do Catálogo USP Teses e Dissertações, a tese de Bruna Soares Polachini, de livre acesso.

 


 

Doutor em Linguística, José Bento Neto foi orientando da Prof.ª Dr.ª Olga Coelho, defendeu em 2020 seu trabalho de doutorado intitulado:

A formação do pensamento linguístico brasileiro: entre a gramática e as novas possibilidades de tratamento da língua (1900 - 1940)”. 

      Minha tese teve como objetivo central compreender como se organizou, no Brasil, a reflexão sobre o Português nas quatro primeiras décadas do século XX. Estudar o papel desempenhado pelos diferentes gêneros textuais e pelas diferentes práticas de tratamento da língua na formação do pensamento linguístico brasileiro. Identificamos que tais reflexões foram desenvolvidas no interior de três programas de investigação: o gramatical, o filológico e o dialetológico. Pudemos constatar ainda que o aumento de publicações, dentro dos programas filológico e dialetológico, alterou o cenário gramaticográfico brasileiro, acarretando a perda da centralidade que a gramática tinha até o século XIX. A análise qualitativa das obras mostrou uma divisão de papéis entre os programas: o gramatical limitou-se mais à produção de materiais para uso escolar e às discussões de aspectos relacionados à norma culta, principalmente mostrando “o que se deve dizer” e “o que deve ser evitado”. Já nos programas filológico e dialetológico, encontramos discussões mais aprofundadas sobre o Português, aquelas destinadas aos especialistas, aos pares, não à escola e ao ensino.

 

Confira no Site do Catálogo USP Teses e Dissertações, a tese de José Bento Neto, de livre acesso.


 

     A dissertação em questão é de uma antiga integrante do CEDOCH que, hoje em dia, é Professora da Universidade Federal de Goiás - UFG. Aline da Cruz defendeu seu mestrado em 2005, sob orientação da Prof.ª Dr.ª Cristina Altman. O seu mestrado se intitula: 

O resgate da Língua Geral: modos de representação das unidades linguísticas da Língua Geral Brasílica e do Tupi Austral na obra de Martius (1794-1868)”

tese Alinetese Aline

tese Aline

 

Para ler a tese completa da Aline Cruz, de livre acesso, no link do Site Biblioteca Digital Curt Nimuendajú.


 

Rogério Cardoso é integrante do CEDOCH e trabalha atualmente na sua tese de doutorado, orientado pela Prof.ª Dr.ª Olga Coelho. A tese se intitula provisoriamente como:

 “A Metalinguagem e as Terminologias para Descrição Sintática na História da Gramática: um escrutínio historiográfico”

tese Rogerio Cardoso

 

    Esta tese de doutorado está alicerçada em dois objetivos precípuos: em primeiro lugar, uma análise descritivo-interpretativa da metalinguagem e das terminologias para descrição sintática ao longo da história da ciência gramatical, desde as pioneiras gramáticas greco-latinas até as gramáticas portuguesas oitocentistas; em segundo lugar, um levantamento qualitativo dos termos técnicos utilizados pelos respectivos autores, para fins de consulta. A hipótese aventada é a de que o modelo sintático baseado no binômio sujeito-predicado, sobre o qual se desenvolveu a Sintaxe Tradicional, não é uma herança direta da Gramática Grega porque, na Antiguidade, os casos morfológicos – nominativo, vocativo, genitivo, dativo, ablativo e acusativo – é que desempenhavam mutatis mutandis o papel dos termos da oração."

 

Devido o encaminhar da pesquisa de doutorado, a tese ainda não se encontra disponível no banco de Teses e Dissertações da USP.


 

 

     Olivia Yumi Nakaema é integrante do CEDOCH desde 2016, e atualmente pesquisa em seu doutorado, o tratamento da polidez em gramáticas da língua japonesa escritas por estrangeiros entre os séculos XVI e XIX, orientada pela Prof.ª Dr.ª Olga Coelho. A tese se intitula provisoriamente como:

O tratamento da (im)polidez em gramáticas da língua japonesa escritas por estrangeiros entre os séculos XVI e XIX”.

 

doutorado olivia

 

doutorado olivia

 

    Minha pesquisa utiliza como metodologia de análise as camadas do modelo descritivo-explicativo proposto por Swiggers (2004 [2003]), ao analisar como a (im)polidez foi descrita nas gramáticas elaboradas por estrangeiros. Nossa proposta é compreender as concepções de língua, linguagem e polidez, e analisar de que maneira a (im)polidez foi tratada em cada uma dessas obras. As primeiras obras investigadas são a Arte da Lingoa de Iapam (Nagasaki, 1604-08) e Arte Breve da Lingoa de Iapam (Macau, 1620), escritas pelo padre jesuíta João Rodrigues. Nossa hipótese é de que a tradição inaugurada por Rodrigues possui uma continuidade que perdura até meados do século XIX, quando se pode observar uma mudança no tratamento da polidez.

 

Devido o encaminhar da pesquisa de doutorado, a tese ainda não se encontra disponível no banco de Teses e Dissertações da USP.


 

Rogério Nóbrega é doutorando do CEDOCH/DL - USP e orientando da Prof.ª Dr.ª Cristina Altman. Sua tese de Doutorado, ainda em andamento, se intitula provisoriamente como:

"O agrupamento das línguas germânicas em estudos sobre suas origens e desenvolvimento histórico (séc. XVII - XX)".

rogerio nobrega

Os objetivos de minha pesquisa são o levantamento e o estudo das propostas de classificação do que hoje designamos 'línguas germânicas', isto é, das tentativas de demonstração das relações de parentesco (filogenéticas) entre as línguas desse grupo, com vistas ao estabelecimento das diferentes famílias linguísticas oriundas de um ancestral germânico comum. O escopo de minha análise incide sobre estudos em torno do tema realizados sobretudo no século XIX europeu, mais tardiamente também nos EUA. Aspectos de especial interesse para minha pesquisa incluem, entre outros, as técnicas empregadas, a metalinguagem adotada e as evidências apresentadas pelos proponentes, observados os respectivos contextos de concepção e recepção de suas obras.

Devido o encaminhar da pesquisa de doutorado, a tese ainda não se encontra disponível no banco de Teses e Dissertações da USP.